Casal suspeito de matar motorista do Uber queria carro para desmanche

Casal suspeito de matar motorista do Uber queria carro para desmanche


Seja um motorista da Uber, cadastre-se em http://ubr.to/2aaLL7e

O casal suspeito de matar o motorista do Uber Osvaldo Modolo Filho, de 52 anos, queria roubar o carro para vender as peças a desmanches. Segundo Carlos César Rodrigues, delegado do 95º Distrito Policial, em Heliópolis, na Zona Sul de São Paulo, o crime foi premeditado e o alvo era o veículo.
Um homem de 19 anos, e uma mulher de 18 anos foram presos neste sábado (24) enquando participavam de uma festa infantil.
"A intenção era se apropriar do veículo para vender para desmanches. Já tinham praticado um roubo da mesma natureza, felizmente sem a mesma letalidade, que nós vamos investigar em outro procedimento. Eles tinham essa intenção de se apropriarem do veículo principalmente", afirmou.
Osvaldo Modolo Filho foi morto com um tiro no rosto, outro na mão e facadas pelo corpo. Por conta da morte, colegas de Osvaldo fizeram um ato, nesta sexta-feira (23), na Zona Oeste de São Paulo.
Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informa que, "após 48 horas ininterruptas de investigação, o crime que vitimou o motorista do uber Osvaldo Luís Modolo Filho foi esclarecido. Os dois acusados confessaram o crime e foram presos na noite deste sábado (24), durante uma festa no bairro Ipiranga."
O delegado afirma que os suspeitos admitiram que estavam portando as facas de cozinha encontradas no porta-malas do veículo, e disseram que a arma foi usada, inicialmente, para ameaçar o motorista. Ele teria sido golpeado pela mulher após reagir ao assalto.
"No entanto, a vítima teria esboçado uma reação, e culminou em uma luta dentro do veículo e que o motorista, trabalhador, o homem de bem, saiu perdendo."
Ainda de acordo com o Rodrigues, a polícia conseguiu localizar o casal pelas informações presentes no celular da vítima. Para ao solicitar a corrida, a dupla informou como destino o endereço de um vizinho.
"O telefone celular da vítima foi apreendido no dia, com ele, não foi subtraído. Nós acessamos as informações e vimos que ele recebeu a chamada, o local de embarque e o destino. Esse imóvel foi alvo de investigação, só que para a nossa surpresa, era o imóvel do vizinho", explicou.

Fonte: G1