Motoristas do Uber criam táticas contra assalto e recusam corridas

Motoristas do Uber criam táticas contra assalto e recusam corridas


Seja um motorista da Uber, cadastre-se em www.goo.gl/W4QbS7 
Seja passageiro e faça primeira corrida grátis: www.uber.com/invite/eu8yhue 


Motoristas do Uber estão com medo. Se antes a ameaça vinha de taxistas preocupados com a concorrência em São Paulo, agora eles se sentem cada vez mais na mira de criminosos armados. Por proteção, condutores têm rejeitado corridas com pagamento em dinheiro e também vêm formando grupos de WhatsApp para comunicar emergências e pedir ajuda a colegas.

Os motoristas relatam que o número de assaltos aumentou em São Paulo após o aplicativo passar a aceitar pagamento em espécie, no fim de julho. Pouco depois da mudança, dois condutores do Uber foram mortos em tentativas de assalto na zona sul da capital, em um intervalo de menos de um mês. Osvaldo Modolo Filho, de 52 anos, foi assassinado por passageiros; Orlando da Costa Brito, de 60, por criminosos em um semáforo.
No dia 24 de setembro, o analista administrativo Edson Nascimento, de 38 anos, aceitou um chamado com pagamento em dinheiro na frente do Hospital Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte. Eram 7h35. Uma mulher sentou no banco de trás. Um rapaz ocupou o do passageiro e anunciou o assalto. “Eu disse que tinha família, que estava trabalhando”, conta a vítima, pai de dois meninos, de 10 e 18 anos. Ele havia entrado no Uber após ficar desempregado.

Fonte: Estadão